Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 15 Agosto |
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

María Todolí: “Apesar da Covid, Deus trouxe algo de bom: a nossa conversão”

FAMILY

Cortesía

Dolors Massot - publicado em 03/02/22

Quando María estava à beira da morte, o marido dela começou a enviar áudios no WhatsApp pedindo oração. O que aconteceu na vida deste casal não foi apenas uma cura física

Na noite de 24 de dezembro de 2021, nada previa o que aconteceria na residência do casal María Todolí e Josep Ardit. O canal de televisão público valenciano “À Punt” falou sobre eles durante o horário nobre. “Conectamos ao vivo com uma família para descobrir como eles estão vivendo a véspera de Natal”, exclamou com entusiasmo o apresentador Màxim Huerta. E um jornalista no local apresentou Josep, María e seus nove filhos – o mais velho, de 13 anos.

A câmera percorreu a cozinha, a sala de jantar, olhou para a mesa posta e as luzes da casa, os pratos acabados de fazer… Josep, pianista, tinha composto uma música para a ocasião. Então as meninas acabaram cantando em coro ao redor dos pais e do piano. Tudo perfeito!

“Queríamos mostrar a beleza do Amor de Deus desta forma, dando a conhecer o que Deus havia feito em nossas vidas. A felicidade do casamento e de todos os filhos que Deus nos deu. Tivemos treze. Nove já nascidos, Caterina, que está a caminho, e três que nunca nasceram, mas tiveram e têm uma grande missão: Abiel, Esperanza e Jesús. Cada criança é uma bela palavra de Deus”, disse Josep ao repórter.

María começa a se sentir mal

Mas, no dia seguinte, aconteceu o inesperado: María, grávida, começou a se sentir mal, com dificuldade para respirar.

Em 2 de janeiro, ela foi internada com Covid-19 no hospital Alzira (Valência). O marido lembra o que passou: “Deixei-a no hospital, porque com a Covid-19 não me foi permitido entrar.  Achei que nunca mais a veria. Eu a gravei no meu celular para que ela dissesse algo para as meninas daquela janela entreaberta. Voltando para casa, naquela noite havia muita neblina e quase nada se via. O Salmo 97 me veio à mente: ‘Trevas e nuvens o cercam…’ . Senti que ia experimentar algo muito sério.”

Transferência para a UTI

A saúde de María – grávida de 5 meses de um bebê que decidiram chamar de Caterina – piorava a cada minuto. Ambas as vidas estavam em perigo. María estava se afogando. Os médicos decidiram, então, levá-la para o Hospital de la Fe em Valência, onde foi imediatamente transferida para a UTI.

Da noite para o dia, o mundo de Josep desabou. Ele achava que María iria morrer e que tudo o que ele era também morreria com ela. Tinha medo. O que seria de suas filhas? Então, sentiu em seu coração a certeza de que Deus é seu Pai e Pai também de seus filhos.

“Deus está aqui ou não?”

Mas a luta diária de Josep era viver a realidade concreta que Deus permitiu: María e Caterina estavam doentes no hospital, mas não estavam mortas. Deus estava naquela realidade concreta e não nas fantasias que Josep vivia como reais, que eram insuportáveis ​​porque Deus não estava nelas. “A tentação constante era: Deus está ou não nesta situação? O Senhor é um bom pai ou está vindo para me destruir?”, pensava ele.

Mas essa difícil situação provocou nele algo que ele nunca imaginou: uma verdadeira conversão, um ponto de virada. Ele deixou de viver para si mesmo para viver para Jesus Cristo por gratidão. Josep diz que sua tristeza lhe veio porque ele é egoísta, tem medo de sofrer, tantos pecados… Ele diz: “Eu não queria pecar, eu queria amar Jesus Cristo e os outros porque sei que isso é a verdade, mas não conseguia afastar a minha amargura.”

Então algo aconteceu.

Orações no WhatsApp

Josep começou a mandar pedidos de oração pelo WhatsApp.

“Uma tarde uma pessoa que eu não conhecia me ligou de Londres e disse que soube da situação pelos áudios que eu havia enviado. Eram carismáticos católicos que ali viviam numa comunidade contemplativa. Foi como um anjo que anunciou que Deus havia curado María e que eu deveria começar a agradecer por isso. Rezamos pelo telefone e essa pessoa me lembrou do Evangelho de São Marcos 11, 20-26 (aquele da figueira murcha). Meu pai também me disse sobre a cura naquela manhã enquanto lavava alguns pratos, e eu acreditei nos dois, mas vendo que a situação de María não melhorava, era impossível para mim agradecer”, disse Josep.

“Aquele homem de Londres ficava me dizendo para olhar com os olhos da fé que María estava curada, embora os dados médicos ainda não confirmassem. Naquela tarde fui à missa com os três mais velhos cheios de amargura e tristeza e depois confessei chorando. Ao chegar em casa comecei a agradecer por cada filha, por Josepet, por minha esposa e Caterina, por tanto recebido. Colocamos vídeos de María e sua família, que dias antes era impossível eu ver por causa da dor que me causavam. E se meu filho Josep perguntasse sobre sua mãe, eu lhe mostraria a Virgem e diria a eles ‘a mãe não está aqui agora, mas a Virgem está e ela vai te abraçar'”, lembrou.

FAMILY

Alegria, apesar da intubação

Josep continua: “Foi um milagre, Jesus Cristo tinha realmente tirado meus pecados naquela confissão e comecei a rezar num canto do chão ao lado da minha cama, não só por María e Caterina, mas por todo o mundo, por todos aqueles que sofriam, mas não conheciam a consolação do amor de Deus. Eu era outra pessoa, me apaixonei por Jesus Cristo e a alegria da Virgem entrou em casa, embora minha esposa ainda estivesse intubada…”

Encontro-me com María Todolí quando o pior já passou, embora ela ainda esteja no hospital. Ela foi intubada duas vezes. Agora, saiu da UTI e está em um andar do Hospital de la Fe, embora ainda tenha um pouco de caminho a percorrer, pois está sendo tratada de uma bactéria, Costridium difficile, que se infiltrou no corpo dela, aproveitando a fraqueza de seu sistema imunológico. A conversa será por telefone, María e Josep com o alto-falante de seu celular. Eles não querem esperar mais para contar o que aconteceu com eles. Porque não estamos falando apenas de uma cura física. Eles querem contar sobre sua conversão de ambos.

FAMILY

Milhares de pessoas orando por María e Caterina em todo o mundo

Josep conseguiu explicar à sua esposa o que aconteceu nestes 20 dias: milhares de pessoas em todo o mundo orando por eles, recebendo notícias através das mensagens de áudio que o marido gravava. 

Os áudios chegaram a diversos países. Houve pessoas que respondiam às mensagens com a esperança de que alguém as enviasse a Josep, para que ele soubesse que as orações estavam sendo feitas por María e Caterina em todo o mundo. Mas logo ele também abriu seu coração para que todos soubessem que Deus o havia tocado profundamente.

Crânios: sonho ou realidade?

Peço a María que esclareça o que ouvi dela em um áudio de agradecimento que ela enviou dias depois de sair da UTI.

“Eu estava em um cavalo a toda velocidade cercado por crânios andando ao meu redor, levando-me à morte. Que eles queriam me levar ao desespero e à fofoca.”

É verdade que você sonhou com cavaleiros que eram caveiras que te levaram à morte e que anjos te salvaram ou é uma forma metafórica de expressar o que aconteceu com você?

María confirma-me: “É verdade, mas não sonhei. Eu vivi isso na minha carne  assim como eu digo. Já no hospital, antes de estar na UTI, senti que tudo estava indo muito rápido, eu estava em um cavalo a toda velocidade cercado de caveiras andando ao meu redor. Elas estavam me levando à morte. Queriam me levar ao desespero e à fofoca. Então outros cavaleiros que eram anjos vieram e me resgataram, me salvaram da morte. Quando Josep me contou o que havia acontecido, entendi que aqueles anjos eram todos aqueles que estavam orando. Sei que parece um filme de faroeste, mas vivi-o de olhos abertos.”

Então, María continua com a história: “Eu ainda estava consciente e sem intubação quando senti uma alegria imensa. Era um amor tão grande que era insuportável. Jesus Cristo me amou e encheu meu coração de amor. Eu só queria me jogar aos pés de todos, conhecidos ou não, e beijá-los porque Jesus Cristo os amava. Nunca gostei de padres, mas naquela época tinha um grande amor por todos eles, especialmente por nosso pároco Dom Jesus. Esse amor veio de Deus porque eu sei quem sou e nada disso sai de mim. Se não, pergunte a quem me conhece.”

FAMILY

“Achei que María tinha morrido”

Josep explica: “Há um detalhe daqueles dias que agora me vem à mente. Até a intubação, eu me comunicava com ela com mensagens conta-gotas. Uma noite, uma delas me acordou. Ela dizia: ‘Estou com frio, meu corpo está tremendo’. E não me disse mais nada por horas. Achei que ela tivesse morrido e rezei por ela e por Caterina por quatro horas…”

Só depois disso ele conseguiu falar no hospital e ser informado que a mulher não tinha morrido.

“Na nossa casa, não nos entendíamos”

Josep chegara ao fundo do poço. “Eu tinha feito como uma Torre de Babel, amando dinheiro, sucesso, bem-estar, etc. e em nossa casa não nos entendíamos, como diz a escritura. Toda aquela torre desabou com a doença de María deixando apenas a fé, a fé em Jesus Cristo que mudou nossas vidas e também curou María e Caterina usando as mãos de médicos fantásticos.”

No dia 4 de janeiro, María recebeu a unção dos enfermos e a comunhão. Os sacramentos foram ministrados por um capelão do Hospital de la Fe chamado Santos. “‘Que maravilha’, disse-me María numa mensagem, ‘o capelão chegou!’ Achei que ela ia morrer por causa das coisas sobrenaturais que ela me dizia nas mensagens.”

O que fez María sofrer muito

Agora é ela quem explica que sua doença também foi um tempo de purificação. María tem 40 anos. “Sou muito arrogante e levo muito em conta os meus pensamentos, demasiado, penso nas coisas, julgo tudo e faço objeções e isso fez-me sofrer muito. Mas o Senhor, com este acontecimento e a sua graça, revestiu-me de algo novo: viver com simplicidade”.

Ela ainda recordo: “Lembro-me do dia em que o tubo foi retirado. Os médicos, vendo-me triste e que eu estava passando muito mal, chamaram meu marido para me ver. Ele entrou na UTI como um anjo pulando e gritando comigo: ‘Alegra-te, María, o Senhor está contigo e começa a agradecer agora porque ele te curou! Eu o escutei e três dias depois eu estava no chão.”

TODOLI

O Senhor a abençoou

Josep insiste: “Todos agora me dizem que fé eu tenho, por causa dos áudios que ouviram, mas eu lhes digo que quem tem fé é minha esposa María. Ela tinha a morte diante dela e o Senhor a abençoou”.

Como vem se recuperando, María já conseguiu conversar com algumas pessoas. Alguns dizem a ela para esquecer de tudo. María, por outro lado, pensa: “Esquecer tudo, não quero! Quero guardar esta palavra do Senhor para sempre como um selo em meu coração”.

No dia 28 de janeiro de 2022, María Todolí recebeu alta médica.

Tags:
Conversãocovid-19CuraFamília
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia