Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 26 Setembro |
Aleteia logo
Curiosidades
separateurCreated with Sketch.

O Papa que cedeu seus aposentos para que refugiadas pudessem dar à luz

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Papal apartment – Apostolic Palace – Castel Gandolfo, October 21

© Antoine Mekary / ALETEIA

Opening to the public the papal apartment in the Apostolic Palace of Castel Gandolfo, Friday, October 21, 2016. © Antoine Mekary / ALETEIA

Ary Waldir Ramos Díaz - publicado em 10/05/22

'Eugenio' foi o nome mais popular entre os recém-nascidos no local. Era uma homenagem ao Papa que abriu as Vilas Pontifícias às famílias perseguidas durante a Segunda Guerra Mundial

O leito de morte do Papa Pio XII também serviu de apoio para o parto de 40 crianças. Eram filhos e filhas de refugiadas da Segunda Guerra. Muitos recém-nascidos foram batizados de “Eugenio” – nome de Pio XII – e apelidados de “filhos do Papa”.

Pio XII morreu em 1958 no quarto principal do apartamento pontifício do Palácio Apostólico de Castel Gandolfo, localizado a cerca de 26 quilômetros da Cidade do Vaticano.

Recentemente, as portas dos apartamentos de verão dos Papas foram abertas ao público por vontade do Papa Francisco.

Filhos de refugiadas

Na época, o diretor dos Museus do Vaticano, Antonio Paolucci revelou que no quarto, então previsto para o uso do Papa Eugenio Pacelli, várias mulheres refugiadas da Segunda Guerra Mundial foram protegidas pelo pontífice e autorizadas a dar à luz.

O Papa que cedeu seus aposentos para que refugiadas pudessem dar à luz
©Musei Vaticani / Villas Pontificias 1944

Em 22 de janeiro de 1944, as forças militares nazifascistas aterrorizavam a população civil, enquanto a cidade costeira de Anzio era alvo do desembarque do exército dos Estados Unidos na Itália. Assim, uma parte da região italiana do Lácio tornou-se um campo de batalha.

Por isso, os refugiados da região procuraram e encontraram um lugar seguro nas Vilas Pontifícias.

Estima-se que até 13.000 pessoas lá permaneceram até a libertação de Roma, em 4 de junho de 1944.

CASTEL GANDOLFO
Aposento do Palácio Apostólico de Castel Gandolfo

O apartamento papal

O apartamento papal foi cedido às mães que estavam prestes a dar à luz. Desta forma, naqueles tempos de guerra, dezenas de crianças puderam nascer no quarto com grandes janelas voltadas para uma faixa azul no horizonte devido ao Lago Albano.

Aos próximos turistas que poderão visitar a Vila Pontifícia e o quarto dos papas, onde também morreu Paulo VI em 1978, o diretor Paolucci sugeriu: “Olhem do terraço e verão a pura beleza, o milagre da natureza”.

Nesse mesmo espaço há uma imagem de Nossa Senhora com o Menino Jesus, um guarda-roupa, uma escrivaninha de madeira e um retrato do Papa Gregório.

O presidente do Governatorato do Estado da Cidade do Vaticano, Cardeal Giuseppe Bertello, assegurou: “Nada foi tocado ou modificado no apartamento, para que os visitantes possam ver e saborear a vida cotidiana geralmente tranquila dos Pontífices no lugar onde passavam o verão”.

O apartamento está relacionado com a história de 33 Papas, mas apenas 15 deles estiveram lá, começando com Urbano VIII.

O último que passou seus dias de verão em Castel Gandolfo foi o Papa Emérito Bento XVI. Em 28 de fevereiro de 2013, Joseph Ratzinger deixou o Vaticano de helicóptero depois de renunciar ao pontificado. Quando os portões do Palácio foram fechados, começou a sede vacante.

Papal apartment – Apostolic Palace – Castel Gandolfo, October 21
Opening to the public the papal apartment in the Apostolic Palace of Castel Gandolfo, Friday, October 21, 2016. © Antoine Mekary / ALETEIA

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
HistóriapapasRefugiadosVaticano
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia