Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 26 Setembro |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Líder leiga “católica” do Caminho Sinodal Alemão quer “acesso ao aborto”

Nossa Senhora grávida

Fr Lawrence Lew, O.P.-cc

Francisco Vêneto - publicado em 15/07/22

Federação de jovens "católicos" do país também criticou que os abortos não sejam "totalmente acessíveis"

Irme Stetter-Karp, de 65 anos, é “copresidente” do controverso Caminho Sinodal Alemão, a iniciativa dos bispos da Alemanha que se arrogou a tarefa de revisar a doutrina da Igreja Católica e, supostamente, “atualizá-la”. A polêmica se arma quando, entre as alegadas “atualizações”, há propostas que, de modo militante, deturpam e afrontam explicitamente a doutrina.

É o caso das defesas do sacerdócio feminino, do fim do celibato sacerdotal, da livre comunhão para divorciados e até para não-católicos. E, pasmem, agora aparece até mesmo quem defenda o aborto.

A própria Irme Stetter-Karp, do alto de seu posto como presidente do Comitê Central dos Católicos Alemães, propõe que o aborto fique “disponível” em toda a Alemanha.

Ela ressalva que a contraditoriamente assim descrita “interrupção voluntária da gravidez” (como se fosse possível pausá-la e retomá-la de onde havia parado) não deve tornar-se um “serviço médico regular”, mas, ainda assim, “deve-se garantir uma provisão da intervenção médica do aborto em âmbito nacional. Isto não acontece hoje porque o atendimento ginecológico está ausente, em particular nas áreas rurais”. As palavras constam de artigo publicado pelo jornal Die Zeit.

O Comitê Central dos Católicos Alemães atua na organização do Caminho Sinodal Alemão juntamente com a Conferência Episcopal do país. Por ser a presidente do comitê leigo, Irme Stetter-Karp é também “copresidente” do Caminho Sinodal.

Alexandra Linder, presidente da Associação Federal para a Vida na Alemanha, deplorou enfaticamente as afirmações de Irme Stetter-Karp. Em declarações à agência católica de notícias CNA Deutsch, Alexandra afirmou que Irme cai em “falsas alegações do lobby do aborto”. A presidente da Associação Federal para a Vida, que também organiza anualmente em Berlim a Marcha pela Vida, pediu que, em vez de abortos, se priorize um “melhor acompanhamento e apoio para as gestantes”. E acrescentou:

“Os números [do aborto] na Alemanha não estão diminuindo. Dá para ver isso claramente nos índices de aborto cada vez mais altos – e isso que, por conta da falta de relatórios mesmo sendo obrigatórios, nem sequer é registrada pelas estatísticas uma proporção maior ainda de abortos”.

O Comitê Central dos Católicos Alemães não é o primeiro grupo autodeclarado “católico” da Alemanha que presta apoio ao assassinato de bebês em gestação, muito embora o Catecismo seja reluzente ao defender a vida humana de modo incondicional desde o instante da concepção até a morte natural.

Em março, quando o governo alemão autorizou a propaganda de clínicas de aborto, a Federação da Juventude Católica Alemã aplaudiu a novidade. Trata-se, como o nome descreve, da entidade que reúne as associações católicas de jovens do país – e a federação de jovens “católicos” ainda criticou o fato de que os abortos não sejam “totalmente acessíveis” hoje em dia na Alemanha.

O país permite o aborto livre até a 12ª semana de gravidez, desde com aconselhamento obrigatório em um centro homologado pelo Estado, além de autorizar abortos posteriores a esse prazo sob determinadas circunstâncias. Em 2020, a Alemanha, com 83 milhões de habitantes, registrou 100 mil abortos – e isso que era o auge da pandemia de covid-19, com restrições severas à maioria dos procedimentos médicos.

Tags:
AbortoDoutrinaSínodo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia