Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 22 Fevereiro |
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

A tradição pessoal que o prof. Felipe Aquino começou depois que sua esposa faleceu

rosas

Biel Morro | Unsplash

Reportagem local - Prof. Felipe Aquino - publicado em 09/08/23

"Eu me lembrei da rosa e do seu espinho que feriu meu dedo"

O prof. Felipe Aquino relatou, via rede social, que começou uma bela tradição pessoal depois que sua esposa faleceu. Ele contou:

“Depois que minha esposa faleceu, comecei ir a seu túmulo todas as segundas-feiras (dia que a Igreja dedica às orações pelas almas), para, na fé, ‘estar um pouco com ela’, matar um pouco da saudade de suas gargalhadas gostosas e do seu jeito tão diferente do meu… Afinal, vivemos juntos mais de 40 anos. Foram cinco filhos, netos, muita festa…

Na primeira segunda-feira após a sua morte, fui a uma floricultura para comprar um vaso de flores e levar a ela. Mas, estranho, não gostei de nenhum vaso de flores, embora fossem muito bonitos. Senti algo em meu coração: ‘não é dessas flores que ela gosta; e sim das rosas do nosso quintal’.

Ela gostava muito de flores. No entanto, no meu quintal não havia roseiras e rosas. Então, não tive dúvidas, fui a uma floricultura e comprei 12 mudas de roseiras, uma de cada cor; e plantei no meu canteiro do quintal. As roseiras cresceram logo e estão com muitas rosas lindas que agora levo para ela toda segunda-feira após a Missa. Apesar da saudade, me sinto muito bem ali; e aproveito para deixar rosas nos túmulos dos meus pais e sogros também.

Um dia, quando eu colhia umas rosas, uma delas me picou com seus espinhos. Eu fiquei pensando: ‘Como pode, uma rosa tão delicada e perfumada, ter um espinho tão agressivo?’.
Logo pensei: ‘é para protegê-las!’.

Mas pensei ainda: ‘Para se oferecer uma rosa a alguém, é preciso ter a coragem de enfrentar seus espinhos, ainda que eles nos firam’. Não há rosas sem espinhos; não há vitórias sem luta; não há méritos sem lágrimas.

Alguém me perguntou, um dia, o que fizemos para viver bem 40 anos casados. Então eu me lembrei da rosa e do seu espinho que feriu meu dedo. E disse à pessoa: ‘Se você for casado, escolha ficar com os espinhos do casamento e ofereça a rosa para ele ou para ela. Quando as palavras duras do outro te ferir, como espinhos agudos, não revide; ofereça as rosas com seu perfume. Quando a briga quiser começar, escolha os espinhos, não devolva palavras de ódio e de rancor, ofereça as rosas com seu perfume; a vitória será sua, porque jamais alguém terá coragem de não aceitar rosas, mesmo em meio à guerra’.

Afinal, fica sempre um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas”.

Tags:
AmorCasamentoMorte
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia