Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 29 Fevereiro |
Aleteia logo
Em foco
separateurCreated with Sketch.

O cristão deve ler livros de autoajuda?

Man reading book at home

VGstockstudio | Shutterstock

Fotografija je simbolična

Mónica Muñoz - publicado em 13/09/23

O ser humano é sociável por natureza e precisa fortalecer seus relacionamentos para ser feliz, mas será que um livro pode realmente ajudá-lo a conseguir isso?

Todos vivemos em ambientes que nos obrigam a interagir com pessoas de diferentes tipos, razão pela qual o nosso comportamento dependerá da situação, que não será a mesma em casa, no trabalho, na escola, com os vizinhos… Mas, sem dúvida, sem dúvida, em cada situação estaremos tecendo redes de comunicação que no final nos permitem sentir-nos satisfeitos, seguros e felizes.

Porém, às vezes acontece que, de acordo com suas experiências, cada pessoa pode se sentir confortável ou insegura, tímida e até com medo de socializar. Talvez porque tenha sofrido abusos, e isso gerou feridas emocionais que as impedem de desenvolver alguns aspectos pessoais ou profissionais.

A questão dos livros de autoestima e autoaperfeiçoamento

As experiências negativas machucam as pessoas, começando pelas palavras e continuando com a forma como são tratadas. Por isso, segundo o Dr. Ricardo Castañon, especialista em psicologia clínica, é muito importante que os pais se dirijam aos filhos de maneira adequada, sem fazer comparações ou insultá-los, pois tudo o que lhes for dito irá gerar vestígios em seu cérebro.

Essas feridas fazem com que as pessoas tenham uma percepção ruim de si mesmas, resultando em baixa autoestima e desejos não realizados de serem reconhecidas e de pertencerem a grupos que as façam se sentir aceitas.

É por essa razão que os livros de autoajuda se tornaram ainda mais populares após a pandemia, de acordo com blogs e sites de psicologia, onde os títulos são recomendados por atacado.

O cristão deve consumir essa literatura?

A Aleteia consultou a psicóloga social Sandra Martínez sobre essa questão. Com base em sua experiência, ela compartilhou conosco que os cristãos “podem ler esses livros” e acrescenta que “eles ajudam”. No entanto, ela faz uma observação: “é preciso ter cuidado com os autores, pois eles podem confundir quem os lê, porque há alguns que se concentram na Nova Era e entram em algumas correntes distantes do cristianismo, o que faz com que percam o sentido de ajudar a pessoa e podem gerar confusão”.

Além disso, como católica, ela acrescenta que um cristão que tem uma fé bem fundamentada deve entender que precisa primeiro amar a si mesmo porque, diz ela, “ninguém ama o que não conhece”. E, para concluir, a psicóloga recomenda que, se alguém quiser ler algum desses títulos, que o faça, tomando o cuidado de absorver o bom e descartar o resto.

Tags:
autoestimaCristãosLiteratura
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia